[ROLEPLAYERS] Corujão RPG na Geek House

A Cidade Fantasma

Em direção à Barramar [Mestre Leandro Siegfried]

Os aventureiros encontraram um papiro misterioso manchado de um minério preto. Com o trabalho em conjunto de todos e a ajuda de Marmorai e Elturel, conseguiram sentir a essência mágica presente no papiro e quebrar diversos selos mágicos para revelar um mapa que aponta a localização de algo relacionado à Vanguarda em uma ilha ao sul da encosta de Barramar.
Aliando isso à algumas informações de recém chegados viajantes em Caldia, decidiram então seguir em direção à mesma para investigar e tentar conseguir uma embarcação corajosa o suficiente para singrar os mares em direção à Ilha Alva.
No tortuoso caminho que leva à cidade portuária, eles passaram novamente por uma cidade abandonada que já haviam encontrado em seu caminho antes. Foram então interceptados por uma criatura meio humanoide meio crustáceo que julgaram ameaçadora mas que não reagiu aos seus ataques.
Perceberam, então, que a criatura queria ajuda-los, guiando-os para o subsolo da cidade por dentro de um poço seco.
Lá, encontraram novamente as portas das 12 constelações e mais uma vez apenas uma se abriu: a da constelação de Câncer.
Logo que entraram a porta se fechou. Uma sala calma, silenciosa e repleta de prateleiras com livros em todas as paredes. Investigaram bem por todos os cantos da sala e inclusive pelos livros na busca de algum mecanismo que pudesse abrir novamente a sala.
Logo um deles encontrou um livro que, ao ser retirado da prateleira, abriu uma porta do outro lado da sala, revelando uma câmara circular com um altar no centro.
O livro encontrado é o diário de Natasha Bart, uma pirata destemida que singra os mares num navio tripulado por sahuagins.
Saíram, então, pela porta aberta e tiveram uma nova surpresa: a porta se trancou atrás deles e todos foram atacados por uma horda de goblins furiosos.
A batalha foi árdua mas todos saíram com vida e logo subiram de volta à superfície pela rampa de saída do subterrâneo. Estavam já deixando a cidade quando todos começaram a sentir dores estranhas no peito, inclusive seus cavalos: alguma maldição os assolava.
Buscaram de toda maneira encontrar um motivo para tal maldição até que entenderam que estava relacionada ao subterrâneo pois ela apenas se tornava ativa quando cruzavam o poço pelo qual desceram.
Resolveram mais uma vez descer para tentar encontrar algo que pudesse tirá-los daquela cidade com vida. Encontraram todas as portas brilhando suavemente em uma cintilância sobrenatural. Testaram de tudo nas portas até que um deles decidiu esfregar a superfície de uma delas e percebeu que a cintilância era proveniente de um pó que se agarrava na superfície das mesmas.
Perceberam que talvez esse pó seria a sua salvação e resolveram cobrir seus corpos com ele e tentar atravessar os limites da cidade novamente. Foram muito bem-sucedidos. A maldição se foi.
Partiram rapidamente rumo à Barramar, adentraram a cidade e seguiram os conselhos de um dos seus para ir até uma taverna onde um contato muito importante os esperava no primeiro andar da cidade alta.
Agora eles aguardam a boa vontade deste contato para conseguir encontrar uma embarcação que os ajude a adentrar a Ilha Alva. Muitos segredos e desafios os esperam nessa nova jornada para salvar Caldia das garras da Vanguarda Branca. Que todas as constelações deem sua força para eles pois irão precisar.

Comments

Vancsek

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.